sexta-feira, 29 de abril de 2016

DONZELA

Nunca cheguei aos teus pês descalços e admitir com palavras radiante que tu,donzela, exalas uma beleza vislumbrante em meus olhos vendados de admiração do seu Eu. Hoje deixei cair o semblante da distração e concentrei-me na eloquência de um elogio feminino escaldante. Realmente são palavras miúdas para descrever a tua venustidade facial, não me contendo deixar de dizer as palavras soltas do fundo amago coração meu, somente para Abjugar o peso devedor de dizer aquilo que te pertence por direito: A axioma da sua idolatrada beleza

Sem comentários:

Enviar um comentário