segunda-feira, 17 de agosto de 2015

LIBERDADE

Voando de árvore em árvore não encontrei nenhum aposento batendo as asas cansada com enorme desejo de tocar na orla da liberdade sou uma ave sem norte um pombo sem paz ou seja eu tenho dono não tenho livre arbítrio não posso escolher, não posso desejar, alimento-me das Massambalas que restam no quintal.

Liberdade é tão fácil dizer tão difícil de obter
que mal eu fiz que nem consigo pensar correcto? até a minha mente é controlada. Vivo uma manipulação tenebrosa. Quero voltar em meu ninho, me aquecer nas fortes asas do meu pai, beijar o bico da minha mãe e voar, voar deixando o som forte do vento me levar até as profundezas do céu.

Liberdade é tão fácil dizer tão difícil de obter

Algo tenho que fazer não posso viver assim com esta ditadura que perfura a minha alma
preciso inverter o meu caminho erguer a cabeça e chamar todos os pombos existente na face da terra

Sim é hora de ser liberto, de viver a própria vida, com direitos iguais sem exclusão de raça.

Liberdade Já

1 comentário:

  1. Poeta eu sinto a mesma dor que tu meu amigo + atê quando seremos livres ?

    ResponderEliminar